Gaucho Negro!

Gaucho Negro!
Força e Honra

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Tentativa de homicídio29/05/2012 | 05h27

Mulher é presa após tentar incendiar casa com os dois filhos em Pelotas

Crianças, de oito e 12 anos, foram salvas por vizinho que arrombou a porta da residência

Uma mulher foi presa na noite de segunda-feira em Pelotas, depois de colocar fogo na casa com os seus dois filhos, no bairro Getúlio Vargas. A mulher, identificada como Sandra Beatriz Deulke, 31 anos, ateou fogo a um cobertor e trancou as duas crianças em casa.

As crianças foram salvas por um vizinho, que arrombou a porta da residência e em seguida chamou a polícia. Segundo a Brigada Militar, as crianças, que têm oito e 12 anos, não se feriram e foram entregues a familiares. A mulher foi presa em flagrante por tentativa de homicídio e levada para o presídio de Pelotas.

Minhas soliedariedade as crianças e elogios ao herói anonimo que as salvou... Deus o abençoe...

segunda-feira, 28 de maio de 2012


RLSH Issue Team Up-1

Richard McCaslin também conhecido como o Fantasma Patriotlançou um novo livro em quadrinhos que ele tenha escrito e ilustrado intitulado Equipe RLSH Up # 1. As estrelas em quadrinhos próprio e San Francisco RLSHs Motor-boca e anjo rebelde em um enredo ficcional, inspirado pelo encontro a três com um protesto do Bohemian Club em janeiro. Eu estava ali para testemunhar o protesto (ver entrada AQUI ) e estou também mencionou (junto com heróis na Noite), na banda desenhada.Você pode obter uma cópia enviando um 6x9 SASE com 2 selos, 1 cópia por solicitação. Para também conseguir uma cópia do comic última McCaslin, o Fantasma Patriot , incluem 1,40 no valor da postagem no SASE e envie para:  . Richard McCaslin PO Box 7450 Las Vegas, NV 89125 "As ordens que recebo antes de 01 de junho será tratado imediatamente", McCaslin disse. "Todas as ordens enviadas no mês de junho não será tratado até julho." 

sábado, 26 de maio de 2012

Marcha da maconha hoje em poa... era só o que faltava...


Cara, fico pensando o que tem na cabeça dessas pessoas, além de muita fumaça. tem gente que me questiona pq eu saio fantasiado pra ajudar pessoas. Então o que pensar de pessoas ditas "esclarecidas" que chegam a organizar excursões para pedir a liberação de uma droga. É o fim da picada... eles tem o direito de serem doidões, mas sair de casa para lutar por tão "nobre causa" é a mais completa falta do que fazer. Temos problemas sérios no Brasil, coisas que realmente precisam de uma manifestação popular e esses caras saem em publico para defender uma causa tacanha e egoista: a livre expressão do seu fedorento vicio... naão sou hipócrita, dei uns tapas na adolescencia, mas é preciso crescer e largar estas infantilidades, que não contribuem em nada pro bem estar social... aos maconheiros de Poa uma sugestão! Vão arranjar algo util pra fazer. Quando eu tinha 10 anos meu pai bateu em 3 maconheiros que estavam fumando na frente da nossa casa e se negaram a sair. Apanharam muito, por essas e outras meu pai era meu herói... RIP meu velho... 

Multiverso Comic Con - Eu estarei laá, e vc?


O que é

FavoritenShare
O Multiverso ComicCON é um evento voltado aos fãs de histórias em quadrinhos e de produtos comunicacionais derivados ou correlatos a elas. O formato ComicCON é bastante popular nos Estados Unidos e já começa a penetrar no Sudeste do Brasil desde 2010. No entanto, no Estado, esta iniciativa é pioneira no ramo. Até recentemente os consumidores desta vertente da Cultura Pop tinham como única opção no Rio Grande do Sul, os chamados “eventos de anime”, que são convenções voltadas a animações japonesas e que abrem um pequeno espaço para os fãs de histórias em quadrinhos e cinema ocidentais. É notável nestas convenções que o público dos chamados comics (quadrinhos de super-heróis) tem tomado conta deste espaço que é originalmente destinado a uma outra “tribo”. A convivência é amistosa entre as duas vertentes, mas os fãs de comics costumam reclamar das poucas atrações oferecidas a eles pelos organizadores. É justamente por ter percebido a carência deste público por atividades focadas nos comics, que a Multiverso Produtora decidiu criar um produto voltado a estes consumidores e projetou o Multiverso ComicCON.
O objetivo do Multiverso ComicCON é abrir um novo canal para que pessoas da Grande Porto Alegre possam consumir cultura através de entretenimento, além de promover a interação entre participantes que muitas vezes sequer sabem que existem outros que dedicam suas horas de lazer à Cultura Pop e, em especial, aos quadrinhos. Com o evento, pretendemos ajudar a conscientizar a população sobre a importância cultural e midiática das histórias em quadrinhos.

A ideia é promover integração dos apreciadores dos quadrinhos, para que possam trocar experiências, fazer contatos, trocar suas revistas, action figures, e estender seus laços de amizade.
A segunda edição evento ocorrerá em dois dias (sábado e domingo) no mês de junho de 2012, em Porto Alegre, período no qual não se choca com nenhum dos grandes eventos de Cultura Pop programados para este ano no cenário internacional.

Regras Gerais

FavoritenShare
Veja, abaixo, as regras gerais da Multiverso ComicCON:
01 – É proibido o consumo de álcool, cigarros, drogas e qualquer tipo de alucinógeno.
02- Há essencialmente duas filas: uma para quem já possui ingresso antecipado e outra para quem comprará ingresso na hora. Pessoas que têm entrada diferenciada: visitantes com nome na lista, imprensa, estandistas, fã-clubes, caravanas e prestadores de serviço. Gestantes, Mulheres com crianças de colo, idosos e deficientes físicos possuem preferência na entrada do evento.
03 – Crianças de até 5 anos, devidamente acompanhados de um responsável, e idosos maiores de 60 anos não pagam ingresso.
04 – No caso de crianças pequenas, sugere-se que se deixe com elas informações de como achar seu responsável (nome e telefone) escritas em um papel. A idade mínima para entrar no evento sem um responsável maior de idade é 12 anos.

05 – É proibida a entrada de animais.
06 – É proibido entrar sem camisa, ao menos que faça parte do cosplay.
07 – Réplicas de espadas sem fio serão permitidas, mas apenas dentro da bainha. Todas as espadas serão lacradas em suas bainhas e o rompimento do lacre acarretará no recolhimento da espada. Ela só poderá ser retirada ao final do evento ou na eventual saída do visitante. Armas ornamentais, bastões, báculos e outras peças do gênero confeccionadas em material que não seja de metal, são permitidas. Armas de fogo, cortantes ou perfurantes ou que lancem qualquer tipo de projétil são totalmente proibidas.
08 – É proibida a comercialização de qualquer item dentro ou em frente ao evento.
09 – É proibida a entrada de garrafas de vidros e tipo PET 1 litro ou maiores.
10 – É expressamente proibida qualquer manifestação de cunho racista ou de ofensa pessoal. Manifestações que possam ofender raça, opção sexual, etnia, religião, grupos e outros serão punidas com a retirada dos envolvidos do evento.
11 – Evite correr, evite simulações de brigas, evite retirar ou movimentar decorações ou itens referentes a temática do evento. (?)
12 – Evite deixar objetos valiosos e valores em dinheiro no Guarda-Volumes.
13 – É proibida a distribuição de cartazes, panfletos ou outra forma de divulgações sem a autorização da organização do evento.
14 – Será permitido aos participantes entrarem e saírem do evento a hora que quiserem. Será necessário apenas carimbar o símbolo do evento no braço, na saída do evento.

A dura vida de quem é diferente!

20.- LUIS ANTÔNIO — GABRIELA: um doloroso pedido de perdão


Ano 6*** www.professorchassot.pro.br ***Edição 2118
Luis Antônio — Gabriela uma peça teatral de Nelson Baskerville, Verônica Gentilin e os atores da Cia. Mungunzá. Com admirável coragem, o diretor Nelson Baskerville mexe em sua história no documentário cênico. Seu irmão, Luis Antonio (o ator Marcos Felipe), era homossexual e viveu em Santos até os 30 anos, quando se mudou para a Espanha. Durante três décadas, quase nada se soube dele, que, em Bilbao, assumiu a identidade de Gabriela, protagonizou shows e acabou vitimado pela aids
Esta é síntese da tragédia familiar que o texto de Fábio Prikladnicki, publicado no Segundo Caderno de Zero Hora deste sábado levou a Gelsa e a eu assistir dentro do 7º Festival Palco Giratório Sesc/Porto Alegre — excelente programação cultural de maio — destaque deste fim de semana na cidade. Este documentário teatral de impressionante crueza será reprisado neste domingo em Porto Alegre neste domingo no teatro do SESC, na av. Alberto Bins.
Após o pungente espetáculo houve a oportunidade de um diálogo entre plateia e a grupo da Cia. Mungunzá. Tanto a original dramaturgia como o estar com os atores nos tornou repletos de interrogações que encheu o resto de nosso sábado, marcados pela emoção de ver o comovente pedido de perdão do diretor a seu irmão.
Eis a proposta de Fábio Prikladnicki: “o diretor Nelson Baskerville buscou o distanciamento defendido pelo dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898 – 1956) em seu teatro épico para evitar que o público se identifique com os personagens. Segundo Brecht, defensor de um teatro político, a estratégia estimula que a plateia tenha a consciência crítica despertada.
Mas Baskerville admite que, nesse sentido, falhou na missão. É um épico que deu um tiro no pé. O público se emociona do mesmo jeito – diz, por telefone. Mesmo assim, é por meio do teatro épico que o diretor explica a reação da plateia frente à história de seu próprio irmão, Luis Antonio, homossexual que assumiu a identidade da travesti Gabriela, enfrentando a rejeição da família e morrendo de forma solitária na Espanha:
Meu teatro é brechtiano porque a plateia assiste a uma tragédia que poderia ter sido evitada. Assim, ele também toca pessoas distantes do tema.
Levando ao extremo o teatro confessional, os personagens interpretados pelos atores da Cia. Mungunzá (SP) são os próprios integrantes da família do diretor e pessoas próximas – a madrasta, os irmãos, um amigo de Luis Antonio. Entre os méritos da produção paulista, que levou este ano o Prêmio Shell (o mais importante do teatro nacional) de melhor direção, está a abordagem sensível de um tema que costuma ser tratado de maneira estereotipada, folclórica. Luis Antonio – Gabriela mostra que a vida real não é uma gaiola das loucas.
A peça fala não apenas do meu irmão, mas de 98% dos travestis do mundo. O travesti nasce, não é aceito pela família, é expulso da escola, sai de casa sem estudo, sem trabalho e não tem outro meio para se sustentar que não seja a prostituição – observa Baskerville.
Corajoso, o diretor revê no espetáculo episódios da infância, na década de 1960, como a ocasião em que o irmão o seduziu, e conta o triste destino de Luis Antonio, que morreu em Bilbao, em 2006, praticamente abandonado por todos.
Baskerville não esconde que a peça é um pedido de desculpas. Lamenta que tenha faltado “orientação” à família para lidar com a situação. Mais de um ano depois da estreia, ele ainda tem dificuldade para acompanhar o espetáculo. Alguns atores ficaram frustrados com a distância, mas veio, enfim, a compreensão.
Toda vez que assisto à peça, ela me machuca um pouco. Ao final, não tive uma sensação de alívio. Continua sendo uma tragédia – diz o diretor”.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Abaixo assinado.


Abaixo-assinado Autorização de Atividades de RLSH no Brasil

Para:Ministério da Defesa, Ministério da Justiça

A função deste abaixo-assinado é reconhecer, regulamentar e apoiar a atividade de RLSH (sigla em inglês para Super Heróis da Vida Real) no Brasil.


Os signatários




Abaixo-assinado Autorização de Atividades de RLSH no Brasil, para Ministério da Defesa, Ministério da Justiça foi criada e escrita pela comunidade Liga dos Vigilantes do Brasil.
Este abaixo-assinado encontra-se alojado na internet no site Petição Publica Brasil que disponibiliza um serviço público gratuito para abaixo-assinados (petições públicas) online.
Caso tenha alguma questão para o autor do abaixo-assinado poderá enviar através desta página de contato


http://www.peticaopublica.com.br/?pi=brrlsh

O Omelete arrasa!



Before Watchmen é "carta de amor" à obra de Alan Moore, diz publisher da DC Comics

Dan Didio manda um pedido ao autor de Watchmen

Érico Assis
20 de Maio de 2012

O jornal britânico Guardian entrevistou o co-publisher da DC ComicsDan DiDio, sobre Before Watchmen. E, estando na terra de Alan Moore, a conversa ganhou tom de julgamento: que argumentos DiDio tem para defender seu novo projeto perante a obra original.

As justificativas são as mesmas que DiDio, o outro publisher Jim Lee e os envolvidos no processo têm reiterado: que a qualidade das novas HQs tem que ser julgada por conta própria, que é preciso levantar o mercado de quadrinhos dos EUA, que Alan Moore também construiu sua carreira com base em personagens criados por outros... Mas DiDio, que nunca falou com o escritor britânico, fez um apelo a Moore:

"Espero que, se ele tiver chance de ler, ele olhe para as HQs de mente aberta e que haja a chance de entender que isto é uma carta de amor para o que ele criou. O mais importante é que a força da obra dele permite que outras pessoas cresçam e contem outras histórias que se espera que venham a inspirar outros autores. Da mesma forma que ele foi inspirado por outros criadores quando era mais jovem, esperamos que as ideias nestas novas HQs inspirem outras pessoas, para que possamos continuar fazendo todo o mercado de quadrinhos crescer."

DiDio aproveitou para reforçar que não havia motivo para não explorar as várias deixas, detalhes, menções, até personagens que a série original não aprofunda.  "As histórias e ideias são tão bem definidas, e há tantas deixas no corpo da obra original, uma frase, um objeto, o vislumbre de um personagem, que são ótimos trampolins para criarmos todo um mundo", disse.

Nesta semana a DC também autorizou cinco sites da mídia especializada em quadrinhos dos EUA a publicar resenhas sobre as primeiras edições do projeto - os jornalistas foram convidados a ver as edições na sede da DC na California. As resenhas tendem para o positivo - destacandoMinutemen, de Darwyn Cooke, como a melhor do grupo -, mas veem problemas nas histórias que se apoiam demais em pontos da trama ou estilos que Moore e Gibbons desenvolveram na HQ original. De qualquer forma, não houve nenhuma reação extrema contra o projeto.

Before Watchmen, composta de sete minisséries interconectadas, começa a sair em junho lá fora.

Leia mais sobre Before Watchmen

Noticia quentissima do omelete.


DC Comics | Personagem homossexual pode ser Lanterna Verde original

Rumor diz que revelação sai no próximo mês nos EUA

Érico Assis
24 de Maio de 2012

All-American Comics
All-American Comics #16, a primeira aparição do Lanterna Verde
O site Bleeding Cool divulgou que, segundo seus informantes bem relacionados na DC Comics, o personagem homossexual que será revelado pela editora éAlan Scott, o Lanterna Verde original.

O personagem mais ou menos se encaixa no perfiladiantado pela DC: é um herói masculino, já estabelecido e proeminente - Scott faz parte do Universo DC há 72 anos. Porém, já apareceu na DC pós-recomeço: teve uma breve participação no primeiro número de Earth 2, série que estreou este mês nos EUA. Segundo o site, a revelação da homossexualidade do personagem se dará na segunda edição.

Talvez para evitar controvérsia, o escolhido a sair do armário vive hoje na Terra 2 (uma das realidades alternativas do Universo DC) e não é o Lanterna Verde original "de verdade", Hal Jordan, mas sua versão menos famosa da Era de Ouro dos quadrinhos. Alan Scott surgiu em 1940, quando Lanterna Verde tinha seus poderes explicados com uma mistura de misticismo e profecia, ao contrário do Lanterna Verde pós-1959, quando Hal Jordan redefiniu o personagem escorado na ficção científica espacial.
A DC não se pronunciou sobre o rumor, mas garante que o personagem homossexual será revelado em breve.

Leia mais sobre a DC Comics

quarta-feira, 23 de maio de 2012


TERCA-FEIRA MAIO 22, 2012

Heróis da Noite destaque em Melbourne City Journal


Direto de Melbourne, a Austrália é o artigo abaixo (não disponível online) em RLSHs. Jornalista Yolanda Redrup me entrevistou para o artigo via telefone e cita-me sobre as relações RLSH ea infame "incidentes spray de pimenta" Eu testemunhei enquanto patrulhava com Phoenix Jones . Foi uma noite selvagem, especialmente quando, como Yolanda coloca, I "apanhou um soco em uma briga enorme." O artigo aborda um pouco sobre osFighters Fauna , um duo de Melbourne, que são ativistas de direitos dos animais que usam o tema super-herói para promover sua causa, recolhendo assinaturas da petição, o lixo pegar, e patrulhas. Thylacine e Flying Fox tiveram uma recepção controversa entre os o RLSH para mostrar apoio ao grupo radical dos direitos dos animais a Frente de Libertação Animal.

Obrigado a Yolanda e O Jornal da Cidade e G'day a quaisquer novos leitores que seguiram o artigo para este blog.

terça-feira, 22 de maio de 2012

reallifesuperheroe.org


Apr062011
 
Por Amy Molloy de Grazia, Edição 314 de 04 de abril
PDF-File Grazia Nyx
Nyx
Foto por Joey L
Com a polícia enfrentando cortes de 20 por cento, as taxas de criminalidade são esperados para subir. No entanto, quando isso aconteceu em Nova York, as pessoas comuns decidiu tomar Neighbourhood Watch para o próximo nível. Aqui, Irene Tomé, 22 - contador por dia, crimefighter à noite - explica por que 'Mulher Maravilha' pode estar chegando a uma rua perto de você em breve ...
"É na calada da noite, no mais áspero parte da cidade e enquanto a maioria da cidade dorme, eu estou à procura de problemas. Como eu passar por um beco eu ouço um choro mulher. Essa é a minha sugestão - Eu tenho trabalho a fazer.
"Se acontecer de você olhar para fora de sua janela e avistar-me - toda vestida de preto, uma máscara cobrindo o rosto - você nunca iria adivinhar por dia, eu sou realmente um contador que gosta de fazer compras, filmes e sushi. Aos meus colegas 
eu sou apenas Irene de contas que corantes seu cabelo vermelho, fofocas sobre programas de TV e sonhos sobre a obtenção de um apartamento maior.
"No entanto, para uma noite por semana, depois do jantar, eu me transformo em NYX, deusa grega da noite - um super-herói da vida real, combate à criminalidade e ajudar aqueles em necessidade. Até o momento, eu chamei a polícia para brigas de bar incontáveis, desde provas de que ajudou os traficantes de drogas condenados e centenas de pessoas desabrigadas alimentados na rua de Nova York - todas em traje.
"Eu espero que você já escreveu-me fora como alguém louco em quadrinhos, que é mais provável de ser encontrado em Forbidden Planet que a American Apparel, mas isso não é o caso. O "movimento de super-herói" é uma tendência crescente que eu fui parte por cinco anos. Nós não estamos vigilantes e nunca endossar a violência. Em vez disso, nós simplesmente patrulhar as ruas para ajudar as pessoas vulneráveis ​​e se há perigo real, chamamos os serviços de emergência.
"Há centenas de pessoas ao redor do mundo - todos de banqueiros para assistentes de loja, incluindo uma dúzia no Reino Unido. E com as taxas de criminalidade prevista a aumentar se o financiamento para as forças policiais é cortado, é só uma questão de tempo antes que mais pessoas se envolverem. Na verdade, os novos números divulgados este mês revelou um terço a mais pessoas já aderiram Neighbourhood Watch no Reino Unido nos últimos dois anos.
"Não é a primeira vez que os civis tomaram para si a combater o crime. No início de 1980, um grupo voluntário chamado Anjos da Guarda patrulhada Nova York, em correspondência uniformes vermelhos. Seu fundador Curtis Sliwa foi inspirado no filme The Magnificent Seven. Temos vindo a trabalhar assim, sem ser perturbado por anos, mas no início deste mês dois super-heróis eram "desmascaradas", e fez manchete.
"Phoenix Jones", um super-herói de Washington que se veste de uma bodystocking skintight preto e amarelo, foi visto deter um ladrão de carros enquanto tentava arrombar um veículo. Enquanto isso, um "super-herói" britânica chamada The Statesman foi revelado para ser um banqueiro de Birmingham, depois de dar uma entrevista a um jornal local afirmando que ele havia frustrado um traficante de drogas.
Nyx
Irene se mudou para Nova York para ser com seu namorado super-herói - Zero Phantom.Fotos adicionais: John Frost
"Eu me envolvi no movimento de seis anos atrás, quando eu estava morando em Kansas. Navegar na internet quando eu como 16, me deparei com a página MySpace da "discórdia Doctor" - um super-herói combate ao crime em Indianápolis, que patrulhava a sua comunidade local no traje, quebrando lutas e impedir que as pessoas dirigir embriagado. Enquanto alguns o ridicularizaram, fiquei espantado havia realmente pessoas lá fora, a dedicar seu tempo livre para proteger 
outros. E realmente atingiu um acorde comigo. Eu testemunhei a minha mãe sendo agredida quando eu era criança - e 
seu terror enquanto percebia que não havia ninguém lá para ajudá-la. Eu não acho que ela jamais escapou de seu medo do homem que machucá-la. Ela morreu quando eu tinha 13 anos de cirrose do fígado.
"Isso é quando eu jurei nunca deixar qualquer controle ou me machucar. Morte prematura de minha mãe também me deu um profundo senso de urgência. Eu não queria morrer por cumprir, antes que eu pudesse fazer algo de bom para os outros.
"Então, de 17 anos e ainda na escola, eu decidi ir na minha" patrulha "em primeiro lugar. Eu não contei a ninguém o que eu estava fazendo - a minha família eram muito rígidos e teria ficado horrorizado. Enquanto isso, eu estava preocupado com meus amigos pensariam que eu era louco. Afinal, a nossa idéia usual de uma noite fora foi o cinema! Para se certificar de que ninguém me reconheceu, eu usava uma máscara no rosto. Em um orçamento de estudante, eu todo vestido de preto, com luvas sem dedos e um cinto de utilidades para a minha lanterna e câmera.
"Eu sei que é nossas fantasias que fazem um monte de gente nos despedir como estranho ou fantasistas.Afinal, o direito de espírito 22-year-old realmente trocá-la maxidress e cunhas para uma roupa preta e máscara facial? É simples. Vestindo um uniforme é libertadora e pode fazer você se sentir mais corajoso.Olhando para trás, eu não sabia que eu estava esperando para conseguir nessa primeira patrulha. Acho que foi um pouco ingênuo e poderia ter conseguido em um problema real. Eu andei em torno de meu bairro antes de começar a coragem de seguir para a parte perigosa da cidade. Cada som me fez pular, mas nada digno de nota aconteceu. Quando cheguei em casa me senti estimulado, porém, impulsionadas que se houvesse alguém em necessidade, eu poderia ter tentado ajudá-los.
"Com as drogas são um problema real em meu bairro, eu decidi focar os comerciantes locais. Eu não era estúpido o suficiente para tentar enfrentá-los sozinho. Em vez disso, gostaria de fotografar os antros de drogas do lado de fora, em seguida, enviar as fotos à polícia. Olhando para trás, eu me coloquei em algumas situações perigosas e muitas vezes sentia nervoso. 
Mas eu me senti orgulhoso de que eu estava tentando fazer a minha comunidade um lugar melhor para viver.
"Pouco depois de iniciar minhas próprias patrulhas, entrei em contato com outros super-heróis da vida real on-line - hoje existem cerca de 200 ao redor do mundo. Um que eu conheci foi também um contador de dia e de noite ele patrulhavam as ruas que alimentam os sem-teto. Fantasma Zero, cujo verdadeiro nome não vou revelar para proteger sua identidade, me convidou para visitá-lo em Nova York.
"Em cada canto da rua parecia que havia alguém precisando de ajuda - crianças a partir dos 10, a dormir na rua, faminto e assustado. Era tão grande que eu percebi que tinha para ficar e ajudar. Então, eu consegui um emprego numa firma de contabilidade em Nova York e, três anos depois, Phantom Zero não é apenas meu parceiro de rua, mas meu namorado. Nós vivemos juntos, porém, não como as pessoas gostam de imaginar, em algum tipo de caverna de morcegos, com uma parede giratória que esconde os nossos costumes. Quem me dera! Em nosso modesto apartamento não há pistas da nossa vida dupla secreta.
"Durante o dia as nossas vidas não são diferentes dos nossos amigos. Trabalhamos 9 a 5, voltar para casa, preparar o jantar e comê-lo na frente da televisão. É que, uma noite por semana, enquanto as pessoas normais vão para a cama, vamos para a noite e não retornar até o amanhecer.
"Em um mundo ideal eu fazer mais, mas tem que caber em torno de meu trabalho do dia. Às vezes patrulhar durante o dia nos fins de semana, mas há amigos para ver (que não têm idéia do que fazemos) e loja de supermercado para fazer! Pode ser difícil para desligar que é onde o traje vem a calhar. Em nossas roupas civis eu tento pensar como Irene e desligar o meu "perigo" radar por isso não estou permanentemente na borda.
"Alguns podem argumentar ser um herói tem-a-go é perigoso. Mas eu nunca entrar em uma briga. Nós somos mais um par de olhos extra nas ruas eo nosso lema é "Ajudar quem precisa de assistência". Isso não significa, necessariamente, enfrentar assaltantes ou salvar pessoas de prédios em chamas - que poderia ser tão simples como dar um desabrigado 
homem um sanduíche ou voluntário em um hospital. Independentemente das suas necessidades da comunidade.
"Há um super-herói na Libéria que educa famílias locais sobre os perigos de traficantes de crianças. Ele tem que usar uma máscara para proteger sua identidade, caso contrário, os traficantes viria depois dele. Então há "Sr. Extreme" - um super-herói em San Diego - que aprendeu um predador sexual na lista de procurados da polícia foi visto pela última vez em sua vizinhança, assim distribuídos panfletos com a foto do culpado diante. O homem já foi detido eo governo local agradeceu por sua ajuda.
"A maioria dos super-heróis da vida real são extremamente protetores de suas identidades reais. Eu não divulgar o que eu faço aos meus colegas. Eu não quero ser elogiado ou - na pior das hipóteses - ridicularizado por meu trabalho. Em vez disso, quero que os outros a perceber que todos tem a capacidade de fazer a diferença.
"Há um super-herói em todos nós ... então o que você está esperando?"
Cabelo e maquiagem: Spring Super em fotos Ennis Inc adicionais: John Frost 
Jornal Para mais informações, visite www.reallifesuperheroes.com 
n

http://heroesinthenight.blogspot.com.br/2010_05_01_archive.html


QUINTA-FEIRA, 20 DE MAIO, 2010


PERFIS DE HERÓI # 23-27: Heróis do Cotidiano


Opera de : Rio de Janeiro, Brasil linha Equipe-se : Os Heróis do Cotidiano (Heroes Diário) consiste de- Heroina da Escuta (Heroína da escuta) Herói da Organizacao (Hero of Organization) Herói da Eficiência (Herói de Eficiência) Herói da Paciencia (Herói da Paciência) Heroina fazer Entendimento (Heroine of Understanding) Sobre : Os Heróis do Cotidiano (Heroes diários) são os únicos que operam como um ativista coletiva. Eles têm correspondência roupas de super-heróis, e são nomeados para as habilidades que eles querem ênfase em suas vidas. O grupo é liderado por um professor de teatro, que se chama Heroina da Escuta. O grupo inclui um de seus colegas professores e da Herói Organização, e três estudantes completam o quinteto. Um artigo no jornal brasileiro O Globo descreveu a missão do grupo. "O coletivo faz intervenções urbanas e arte performática para mostrar que o heroísmo de pequeno porte podem ser feito por qualquer pessoa. Eles limparam as estátuas de Gandhi e Getúlio Vargas * (simbolicamente limpar os dentes), colaborou com a comunidade ajudando as pessoas no escritório e ajudou com gestos simples, como prestar atenção a pacientes que chegam aos hospitais. " Além de limpar estátuas e ser bons vizinhos , o grupo também formou uma aula de meditação e tenta encontrar outras maneiras de misturar arte ativismo e performance. Por exemplo, aGlobo também menciona como o grupo tentou definir as preocupações das pessoas livres com uma visualização literal. "O grupo foi ao Morro Dona Marta e fez uma performance incitando os moradores a escrever artigos que gostariam de se livrar de preocupações. Eles escreveram problemas como o medo de deslizamentos de terra, terremotos, escassez de água, falta de educação, saúde e voou para longe do morro, simbolicamente amarrados a balões de hélio. " * Vargas foi o presidente dias 14 e 17 do Brasil. Eu não sei o suficiente sobre a política brasileira para dizer-lhe porque é que iria ser a limpeza de seus dentes.


Indico o site www.direitohomoafetivo.com.br , pq uma das bandeiras que defendo e a ideia de que todos são livres para amar quem quiserem. Melhor amar livremente do que o odio. chega de intolerancia, violencia e homofobia. Viva o amor, viva a vida. Creio em Jesus e duvido que ele jogaria pedras nos Homossexuais.

Combate a fome é coisa de heroi da vida real!


Quem Clica

O site Clique Alimentos é uma oportunidade para qualquer pessoa colaborar com a sociedade, facilmente e sem custos para quem clica. 

Qualquer pessoa pode clicar. Basta acessar o site:www.cliquealimentos.com.br e fazer a doação. 



Quem Paga

A empresa cuja marca aparecer após o clique no prato será a responsável por custear a doação do alimento clicado. É importante ressaltar que quem clica não gasta absolutamente nada



Qualquer empresa pode entrar em contato com o Banco de Alimentos mais próximo para participar. Além de ajudar o Banco a atender as comunidades carentes da sua região, sua marca ainda aparecerá como parceira do Clique Alimentos. 

Para entrar em contato com o Banco de Alimentos, basta mandar uma mensagem através do link "Contato" no Menu à esquerda. Para cadastrar a sua empresa, utilize o menu à esquerda clicando em "Empresas" e em seguida "Cadastre sua empresa".

Quem Recebe

O Banco de Alimentos é uma instituição séria e comprometida com o combate à fome no Brasil. Somente em Porto Alegre, já foram doados mais de 18 milhões de quilos de alimentos em apenas onze anos. Nesta cidade são doadas 250 toneladas por mês, beneficiando creches, asilos, associações comunitárias e instituições de caridade dos mais variados tipos, sempre com o compromisso de ajudar as pessoas mais carentes das suas comunidades. 

E este trabalho agora se espalha por várias regiões do Rio Grande do Sul e do país, abrangendo hoje 19 cidades, que juntas beneficiam mais de 800 entidades com aproximadamente 400 toneladas de alimentos por mês. 

É importante lembrar que o alimento arrecadado é destinado à cidade que você escolheu. Se optar pelo sistema randômico, ele escolherá a cidade beneficiada.

Porque Clicar

A fome continua atingindo, e de maneira rigorosa, as pessoas com menores condições financeiras. O Banco de Alimentos trabalha em prol daqueles que mais precisam, e leva a eles a mínima condição de uma vida digna, que é ter o alimento. 


Através do Clique Alimentos, é dada à sociedade a oportunidade de colaborar de uma forma bastante simples: de um lado uma pessoa acessa o site e realiza a doação de 1 kg de alimento com um clique. Do outro, uma empresa parceira patrocina a doação e em troca tem a sua parca exposta. Justo, não?

Participe você também, acesse www.cliquealimentos.com.br e deixe a solidariedade tocar você.


Blog da Gisele Bundchen! Gauchinha linda e humana.


Corrida para Vencer o Diabetes

15 de maio de 2012 por Equipe Übersite
Categoria(s): DestaquesEm PautaSentido da Vida
No próximo domingo, 20 de maio, ocorre a 14ª Corrida para Vencer o Diabetes, em Porto Alegre. Realizada anualmente pelo Instituto da Criança com Diabetes, a edição de 2012 terá largada no Parque Moinhos de Vento, Parcão, às 10h.
A corrida conta com a participação de milhares de pessoas e tem como objetivo chamar a atenção para a doença, assim como arrecadar fundos em benefício das crianças e adolescentes do Instituto. Em sua primeira edição, em 1999, o intuito era arrecadar fundos para a construção da sede que hoje cuida de mais de 2 mil crianças e adolescentes.
Para participar é fácil, basta adquirir a camiseta do evento que tem como tema o Gre-Nal em locaisdivulgados pelo ICD ou ainda divulgar através da Corrida Online, ferramenta desenvolvida para o Facebook em que os participantes de cada clube percorrem um metro cada, tornando a disputa mais emocionante.
Faça parte desta Corrida para Vencer o Diabetes e torne-se um campeão de solidariedade

sexta-feira, 11 de maio de 2012


Batman da Eslováquia ajuda cidadãos em troca de comida

Por Marcus Ramone   Siga Marcus Ramone no Twitter   | 03-04-2012
'Cavaleiro das Trevas'
Um novo super-herói da vida real foi revelado na Europa. E assim como outros que atuam nos Estados Unidos e no Brasil, ele também atende pelo nome de Batman.
Mas a diferença entre esse Cavaleiro das Trevas e sua contraparte dos quadrinhos é que Zoltan Kohari, alter ego do agora famoso "Batman da Eslováquia", não tem um único tostão no bolso. Na verdade, ele vive na completa miséria.
De acordo com a agência de notíciasReuters, Kohari não tem emprego ou qualquer outra fonte de renda e mora em um prédio abandonado e semidestruído, sem água ou eletricidade, na cidade de Dunajska Streda, a 55 quilômetros de Bratislava, capital eslovaca.
Ele tem ajudado a população local em diversas necessidades, incluindo tarefas que exijam carregar peso. Em troca, costuma receber comida.
Kohari afirmou que, até o momento, não se envolveu em nenhuma ação de combate ao crime, mas que acredita na justiça e gostaria de ajudar a polícia nessa área.
O almoço e o jantar estariam garantidos por um bom tempo.
'Cavaleiro das Trevas'