Gaucho Negro!

Gaucho Negro!
Força e Honra

terça-feira, 25 de março de 2014

Obrigado Liga da Justiça!

Ta bem dificl conseguir parceiros assim no RS...  Vamos la gauchada... GN



Arte: Kevin BolkPor Daniel X.


Um aracnídeo, um morcego, um raio, um pássaro, ou um "S" que significa Esperança. Esses são alguns dos símbolos que meus amigos carregam no peito.

Apesar da imagem do super-herói ser frequentemente associada à fase da infância, eles sempre fizeram parte da cultura da humanidade. O herói sempre esteve presente na mitologia, no folclore, na religião, e nos dias de hoje através da cultura pop.


Inspirados por grandes ativistas, e também pelos ideais dos heróis dos quadrinhos, a equipe de corredores Liga da Justiça, passou a fazer visitas em hospitais. Não apenas em hospitais pediátricos, mas também em alas de internação de adultos, asilos, e creches, pois todos tiveram um herói como referência na vida. Desde Teseu, Sansão, até Zorro, National Kid, e Superman. Assim como também temos grandes heróis dentro de casa, que às vezes não reconhecemos, como um grande pai, ou uma mãe dedicada.


Nossa primeira visita já foi em um hospital diferente: o Hospital Militar (AQUI). Diferente pois, além de hospital, o mesmo é considerado um batalhão da PMMG, onde médicos, psicólogos, téc. de enfermagem, são Capitães, Sargentos, Soldados, Cabos...
Tenho muitos amigos que trabalham lá, mas tive um certo receio de visitar o local. Apesar da minha hesitação, nossa visita foi muito bem recebida por pacientes, familiares, e pela maioria dos funcionários. Inclusive, fomos muito bem recepcionados pelo Diretor do HPM, o Ten Cel Vinicius, e pelo próprio Comandante Geral da PMMG, o Coronel Sant'Anna.


Posteriormente à esta visita, recebi uma mensagem de um Sgt que trabalha no HPM, e que me emocionou muito:
"Parabéns a todos os participantes da Liga da Justiça, pelo trabalho honroso que quebra TABU dentro desta casa.
A alegria tirada de um sorriso de quem esta em condições diferentes, brilha dentro da lama.
Que esta atitude transforme os corações mais duros para à alegria, e que aqueles que apenas falam percebam a diferença no Fazer.
Um grande a braço a todos!"


Porém, cheguei a ouvir comentários que também justificaram minha hesitação, como, "isso que eles estão fazendo dentro do Hospital Militar é uma falta de decoro contra nossa classe"...


Cenas de Shazam O Poder da Esperança, por Alex Ross



Visitamos o Hospital Infantil João Paulo II (AQUI), e foi lá que aprendemos que "apenas" levar um sorriso às vezes não basta. Ter contato com as condições precárias das famílias dos internados, e até mesmo da instituição, assim como as condições de trabalho dos funcionários, nos fez repensar sobre nossas visitas, e em fazer algo mais.




No mesmo dia visitamos a pediatria e oncologia pediátrica do Hospital Santa Casa (AQUI). O que a princípio nos parecia uma visita triste, acabou se tornando muito alegre e divertida. Essa visita foi uma grande lição de como as crianças tem a capacidade de enfrentar uma grande adversidade como um câncer.




Após essas primeiras visitas a hospitais, passamos a cogitar a possibilidade de arrecadar doações para as instituições. E a primeira atitude dessa natureza foi realizada por nosso amigo, o professor de geografia, Luiz Fernando Batman, que realizou três aulões solidários, arrecadando doações, que encaminhamos ao Lar da Vovó (AQUI). Além das doações e visita às idosas acolhidas no local, ajudamos os funcionários no horário de almoço.


Em nossa segunda visita ao Hospital Infantil João Paulo II (AQUI), levamos as 5.000 fraldas arrecadadas em uma campanha de doação, realizada pelo grupo, e que foi muito bem recebida pelas assistentes sociais.


Cenas de Superman Paz na Terra, por Alex Ross




Participamos da festa de Natal da APAE/BH (AQUI), onde nossa presença foi tão divertida para as crianças, que vários dias depois ainda comentavam sobre a nossa passagem pela instituição.



No decorrer da nossa jornada conhecemos também o Núcleo Assistencial Caminhos Para Jesus (AQUI), onde fizemos uma significativa doação de roupas, além visitar e de participar do café e almoço dos moradores da instituição (AQUI).




Cenas de Batman - Guerra ao Crime, por Alex ross



Fizemos uma doação de roupas infantis e brinquedos à Creche Tia Dolores (AQUI), onde tivemos a oportunidade de conhecer de perto a dura rotina dos funcionários dessa casa de acolhimento para crianças com paralisia cerebral, que se mantém apenas com doações.



Nessa nossa jornada de aprendizado contamos com muito apoio de pessoas bem intencionadas, mas também nos deparamos com a falta de apoio. Aprendemos que existem muitas pessoas que tem grande vontade de ajudar, mas às vezes não sabem o caminho. Mas também existem pessoas que só querem usar a filantropia para a autopromoção e, às vezes, até pegar carona em um projeto realizado por outros, embora, no início desse projeto, não tenha prestado o mínimo apoio.


Nos deparamos com obstáculos, às vezes gerados por pessoas que também precisam de ajuda. Mas também aprendemos a superar esses obstáculos e converter essa energia negativa em Força de Vontade.


Aprendemos a lidar com a decepção por amigos que deveriam estar ao nosso lado, mas não estavam.
Mas no final, quem realmente deveria estar lá, estava!


Uma turma invencível!




Apesar da alegria que levamos aos internados, às vezes saíamos com uma dor no coração, que foi o caso de quando recebemos a notícia do falecimento do padre Guido Fortunato, que dedicou sua vida a levar paz e conforto aos pacientes em hospitais. Uma das últimas visitas que o padre Guido recebeu enquanto estava internado, foi a da Liga da Justiça.


Levamos muita felicidade, mas também levamos a decepção, que foi o caso da nossa visita à Oncologia pediátrica do Hospital Baleia, em comemoração ao Dia da Criança, que foi cancelada.
Devido a questões pessoais de última hora de alguns membros, o grupo não veio a comparecer, deixando as crianças esperando pela tal "Liga da Justiça". Espero que algum dia nosso grupo tenha a oportunidade de se redimir com essas crianças.


Cada visita ficou registrada na nossa memória, mas alguns momentos com certeza tiveram um impacto maior em cada membro, como, a criança que solicitou a cura do câncer através do anel da Lanterna Verde; o herói que enxugou suas lágrimas com a capa, após saber da história de um bebê que foi abandonado em um hospital depois de ter sido vítima de maus tratos; a paciente, que, mesmo em estágio avançado da doença de Alzheimer, conseguiu reconhecer um rosto entre os heróis: "o Homem Aranha!"; a idosa que veio a se emocionar com a Mulher Gavião, acreditando se tratar de um anjo; o portador de necessidades especiais, que fez seu vôo nos braços do Shazam; o garoto internado, que pôde conhecer de perto o seu herói, o Homem Morcego; entre tantos outros momentos de emoção ímpar.




"No mundo cínico em que vivemos, é fácil desprezar os heróis fantasiados e seus conceitos. Para a maioria, eles são apenas fantasias juvenis descartáveis que não tem grande valor ou significado no mundo real. Mas o dia a dia prova não ser bem assim..."

Flávio Luiz, na matéria Espírito de Herói.

A palavra Herói (lat heros, do gr héros), tem como uma de suas definições: Homem que se distingue por coragem extraordinária na guerra ou diante de outro qualquer perigo. Aquele que suporta exemplarmente um destino incomum, como, por exemplo, um extremo infortúnio ou sofrimento, ou que arrisca sua vida abnegadamente pelo seu dever ou pelo próximo. Personagem preeminente ou central que, por sua parte admirável em uma ação ou evento notável, é considerada um modelo de nobreza.


Dedicar seu dia de folga, gastar gasolina, ficar longe de seus familiares, deixar de comparecer em alguma festa, carregar 600 fraldas a pé e debaixo de chuva, tentar conciliar as obrigações familiares com o trabalho do grupo. Todos esses sacrifícios em prol do próximo e sem receber nada em troca, fazem de meus amigos, grandes heróis.





Essa matéria é uma homenagem aos meus amigos da Liga, pois sem eles nada disso teria sido possível. E, é dedicada ao nosso eterno Superman, que dedicou os últimos anos de vida a combater a sua insuficiência física e criou aFundação da Paralisia Christopher and Dana Reeve, instituição que acolhe pessoas atingidas por vários graus de paralisia e que ajuda os pacientes a terem uma vida tão independente quanto possível.


Obrigado Liga da Justiça!!!



“Um herói é um indivíduo comum que encontra a força para perseverar e resistir apesar dos obstáculos devastadores.”

―Christopher Reeve



Fonte... http://reviewrun.blogspot.com.br/2014/01/obrigado-liga-da-justica.html